Diário 31.03.2010

30 03 2010

A Ana conta-nos que “a ida para Chão do Sobral foi das melhores caminhadas, quase todo o trajecto por trilhos aventureiros. A última hora foi molhada mas o acolhimento em Chão do Sobral foi tão bom e quentinho que todos se esqueceram dessa parte em três segundos! No dia seguinte  o dia foi muito agradável, com cinco novas pessoas a juntarem-se a nós. Pela noite, a mãe o João convidou-nos para jantar em casa dela uma sopa e broa quentinha! Ainda houve tempo para um workshop sobre a elevação da consciência humana, em que todos, os cerca de vinte presentes, participaram!”

Que maravilha de dia e de noite! Força caminhantes!

Advertisements




Diário 28.03.2010

30 03 2010

“Chegámos 8, pois o mau tempo fez as suas baixas, à Quinta Nemus. O dia correu bem, com uma paragem para almoço junto ao rio, muito solarenga e pacífica. Mas a chegada à Quinta, onde fomos acolhidos calorosamente e com música, foi a melhor parte! O dia de hoje foi talvez o melhor até à data, com muitas pessoas das redondezas que nos vieram visitar e conhecer. Muitas pessoas bonitas, alegria, bem estar e convívio. Houve tempo para  darmos uma ajuda na reconstrução das casinhas da Quinta e para muitas conversas! Neste momento estamos à volta da fogueira a aquecer as mãos nos djambés!!”

Fantástico! Quem se junta a este grupo que caminha, para não correr?…





Diário 27.03.2010

30 03 2010

“Chegámos 10 ensopados ao maltratado poli-desportivo de São Martinho. Foi um trajecto rude por causa do vento e da chuva. Uma parte do grupo seguiu na carrinha depois do almoço. No entanto a noite foi muito alegre e convival. No princípio da noite no bar da associação desportiva e no final no ginásio com um jogo de futebol com uns jovens da aldeia!” Força caminhantes!!





Diário 26.03.2010

25 03 2010

“O dia de ontem foi bipolar, como o tempo! Entre momentos de Sol que nos aqueciam a alma, e chuvadas intensas, como as nossas emoções. Valeu-nos a Catarina e a sua casa na aldeia onde pudemos dormir quentinhos e secos. Obrigada Catarina e Bernardo!”





Diário 25.03.2010

25 03 2010

E os caminhantes já estão em Melo!!:
“O dia hoje foi perfeito! Chegámos 12 e os mesmos 2 cães (a Pulga da Ana e a Thai do Rui), com uma enorme suavidade a Melo.” Isto no quarto dia já é coisa fácil para estes caminhantes. Chegou a parte de curtir ao máximo cada etapa!
“Todo o trajecto foi tranquilo e fluído. Tivemos tempo para tudo quando chegámos, tendo sido maravilhosamente recebidos na Ruínas Circulares pela Catarina e pelo Bernardo. Uma vizinha simpatizante preparou-nos uma sopa deliciosa e uns amigos vieram de uma terra vizinha para nos conhecer! Perfeito!”
Que sorte, sopinha da terra e visita de amigos! Quem me dera! 🙂

Filipa d’O FOJO





Diário 24.03.2010

25 03 2010

Temos novidades:
O grupo da Caminhada pela Simplicidade Voluntária ficou a noite passada no Biótopo Shanti. Conta-nos A Ana Loichot que “o dia de ontem foi tranquilo, recheado de boas conversas estáticas!”, depois de um dia duro de caminhada já mereciam estes valentes um diazinho de descanso, pelas belas paisagens do Biótopo!!
“Dois deixaram a Caminhada, cheios de vontade de voltar. Depois do almoço tardio conversámos mais um pouco e plantámos três figueiras e uma nespereira.” Nada como plantar as primeiras árvores de fruto! “As movimentações fluíram conforme o momento e as vontades. Foi reconfortante!”
Acredito que sim! Caminhar por uma causa e sentir o prazer de desfrutar de um dia de conversas interessantes, rodeados pela Natureza…

Viver melhor, com menos? 😉

Filipa d’O FOJO





Diário 23.03.2010

25 03 2010

Mais um relato dos corajosos caminhantes:
Ontem atravessaram o troço mais longo desta Caminhada! Entre entradas e saídas, pois havia pessoal à espara do grupo caminhante em Cunha Baixa, onde pararam para almoço, chegaram 12 adultos ao Biótopo Shanti.
3 novos caminhantes os aguardavam no Biótopo, portanto neste momento temos 15 pessoas a caminhar por uma Simplicidade Voluntária!
“O percurso era o maior de toda a Caminhada e foi duro para todos, no entanto à volta da fogueira gerou-se um espírito leve de conversação. A sensação geral era a de satisfação cansada de ter concretizado a tarefa de caminhar 30km mais os que se adicionaram pelo facto de nos termos perdido pelo pinhal.” diz a Ana.

Ainda com todo este cansaço gostaria de os acompanhar nesta Caminhada, mas não dá para fazer o percurso inteiro!
O Sol os acompanha e os guiará! Bom Caminho!!

Filipa d’O FOJO